Deus não emburreceu nem estagnou! Além do universo, incontável e imensurável, Deus criou o homem, um ser complexo e completo para a química, biologia, neurologia, mecânica e todas as demais ciências que se possa avalia-lo, deu-lhe inteligência para criar e evoluir nesse mundo que vive.

O homem começou vivendo da rudeza da pedra e do fogo para chegar hoje ao domínio do espaço, da complexidade das ciências, evoluindo do caminhar para o andar a cavalo até a voar em espaçonaves, da contagem manual à perplexidade da computação, da rudeza das ervas medicinais à cirurgia robótica e assim por diante, evoluindo em tudo o que Deus lhe deu por processo inicial, na forma de fazer todas as coisas, utilizando para benefício dos seus intentos o melhor daquilo que a ciência e tecnologia que desenvolveu possa lhe proporcionar.

Pois bem, isso deveria nos levar a entender que Deus jamais “ficaria para trás” de sua criação e dos frutos positivos dessa evolução que a capacidade que ele nos dotou possa produzir para o bem de seu Reino e assim, algumas questões me aquecem a mente com uma profundidade incompreensível em nosso âmbito humano e na nossa limitada capacidade de discernir coisas infinitas, que induz a pensarmos, se a inspiração dos escritos bíblicos fosse hoje, e contando com os recursos, tecnologias e ambiente totalmente diferentes que temos hoje, Deus seria retrógrado e desprezaria os meios e alternativas atuais para definir a forma de fazer coisas? É ousado pensar que Deus faria diferente ou nós que tentamos colocar Deus em uma mente limitada, limitando-o a nós, transparecendo um emburrecimento retrógrado?

Se os homens usam meios mais eficazes, evoluem para seu próprio benefício e até para a expansão do Reino de Deus, se ele fosse inspirar a bíblia hoje, faria de forma pior que os homens e desprezaria toda evolução humana, social, científica e tecnológica? teria “emburrecido” fazendo coisas de formas piores que os homens poderiam fazer? Pensemos por exemplo:

  • Congregar, seria somente em um templo físico, com bancos, púlpito, cerimoniais e rotinas litúrgicas, ou ele utilizaria recursos televisivos, internet, comunicação, sistemas, softwares e redes sociais para formatar o modelo de cultuar e aprender dele?
  • Pastores e obreiros seriam homens de gabinetes, púlpitos e formalidades ou aqueles que por meio dos recursos modernos ganham almas, discipulam a distância, aconselham e ensinam, alcançam vidas, mesmo sem estar presentes e usam a modernidade para ampliar a capacidade de produzir muito mais frutos?
  • As suas ordenanças teriam o mesmo formato ou ele criaria por exemplo outras formas de dar testemunho público da nossa fé, de celebrar a comunhão e principalmente de ir pregar o evangelho?

Tenho certeza que não! Embora não ouse inferir algo, Deus que é supremo e infinito em sabedoria, não se colocaria em posição inferior ao homem, como se tivesse emburrecido no transcorrer da eternidade e assim jamais desprezaria o melhor ou mesmo, faria pior que um homem seria capaz de fazer. Jamais privilegiaria o método e prejudicaria o princípio!

Essas coisas talvez sejam complexas demais para nossa limitada capacidade, mas enquanto isso, podemos usar o mínimo da inteligência que ele nos dotou e discernir que PRINCÍPIOS são eternos, MÉTODOS mudam, e sob a égide dessa sábia distinção, pararmos de eternizar métodos e pisar em princípios, deixar de nos fixar no jeito de fazer as coisas e focarmos nos objetivos e frutos, passarmos pelo “como fazer” para chegarmos à real razão pelo que se faz e assim produzirmos a partir do melhor que Deus nos deu, o melhor para ele!

Em tempo: Devido a abordagens até indelicadas nas publicações e inbox cabe salientar que em momento algum falamos aqui sobre mudanças de princípios e sim de métodos. Transcrevemos aqui parte de uma das respostas dadas no facebook: “Se fosse um artigo com mais amplitude de texto, poderíamos explicar que Jesus hoje não mais chegaria nas cidades andando a pé ou montado em um jumento, suas pregações não seriam só no alcance de sua voz, assim como se Deus fosse mandar alguém construir uma arca certamente teria outra especificação de materiais, pelo que temos disponibilidade hoje, diferente dos dias de Noé. Ocorre que muitos querem “fazer arca” hoje e usar apenas madeira bruta com betume Porque Deus mandou Noé fazer a dele assim e pensam que para Deus e para ser certo só existe esse jeito de escapar de um dilúvio mesmo se ocorresse na atualidade!

Pr. Eroni Fernandes.

Posted by:Eroni Fernandes

Empresário, Pastor, defensor de uma igreja MENOS INSTITUIÇÃO e mais IGREJA DE VERDADE, relevante, focada na missão e com dedicação à sua razão de existir: Evangelizar e levar paz, alívio e salvação ao seu redor, expandindo na sua redondeza e alcançando o mundo.

Uma resposta para “A religiosidade que tenta “emburrecer” um Deus supremo em Sabedoria!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s