Certamente você já se deparou com pessoas falando e pregadores utilizando largamente expressões não comuns fora da igreja, tais como VARÃO, FOGO, VASO, CARNE, ÍMPIO. LUTA, DESERTO, PROVA, ENFERMO, IRA, DESVIADO, etc., e muitas outras que nem sempre tem o mesmo significado para o povo não evangélico que nos âmbitos da igreja e assim e por isso podendo causar severos ruídos na comunicação, bem como até situações hilárias ou mesmo jocosas para a igreja.

Aparentemente são apenas algumas palavras ou expressões restritas á comunidade evangélica, utilizadas de forma normal e corriqueira em seu meio, mas que com certeza podem gerar ruídos na comunicação, produzir entendimentos errados, interferir na pregação do evangelho e até resultar em entendimento de expressões extremamente danosas e até pejorativas ao bom conceito do povo evangélico.

Além desse vocabulário particular, obviamente surgem outras peculiaridades como as expressões bem comuns na vida dos crentes que pode-se ver por diversos meios e formas, como por exemplo:

a) – Nos adesivos que vemos nos carros pelas ruas:

“Em caso de arrebatamento esse carro ficará desgovernado”  –  Para a maioria das pessoas que leem na rua e não são do meio, isso pode soar mais como fanatismo que a real mensagem que a pessoa provavelmente gostaria de passar;

“Fruto de oração”,  “Presente de Deus”, “Propriedade exclusiva de Jesus”  e outras, passam alguma mensagem, mas já é jocoso nas redes sociais essas frases em carros detonados que as pessoas questionam que presente é esse? ou mesmo com placas de vende-se e vem a pergunta, vendendo o fruto de oração ou o presente de Deus ou a propriedade exclusiva de Jesus?

“Buscamos no monte”. Eu mesmo já me deparei e fotografei um carro bem velho, mal conservado em estado lastimável com essa frase, e lógico, a pergunta cínica que nos vem a mente é: Buscaram no monte de lixo ou do ferro velho?

Além, dessas existem ainda outras expressões que já dizem tudo e que aqui as citamos acompanhadas das prováveis perguntas que surgirão em uma mente fora do nosso meio:

  • Não sou deste mundo! ( ah…é um ET?)
  • Estou atravessando um deserto! você que está no deserto (Deserto no Brasil?)
  • Vai estar lá uma irmã cheia de fogo! (que fogo será esse? Veja quanto é grave porque “fogo” nessa frase, pode ter o sentido de vitalidade sexual)
  • Não pouparei a carne! (Então vai ser bom o churrasco, carne boa e a vontade!)
  • Estou lutando contra a carne! (seria alguém com luvas de boxe esmurrando uma paleta bovina pendurada?)

b) – E os cartazes na internet e faixas expostas nas igrejas?

Retiro: Encontro de homens e mulheres de fogo! Ahm????? hein??? igreja promovendo isso?

mulheres

II Encontro de varões? O significado da palavra varão retirado de um cartaz de igreja na internet se for interno, tudo bem, mas isso está na internet, ou na segunda figura, o cartaz, pode confundir as “varoas”.

varão

c) E as expressões dos diálogos entre irmãos:

E aí varão! firme na rocha? E a varoa? continua sapatinho de fogo? E aí, sentiu o Manto? e por aí vai…

Não é intenção expor de forma pejorativa a nossa linguagem e sim levar a reflexão que coisas dessa natureza podem em determinadas situações tornar-se obstáculos a boa comunicação e prejudicar a imagem do povo evangélico que já normalmente era tido como ignorante e se vivemos “passando recibos” disso, pela própria simplicidade  que nos é característica,  então devemos tomar mais cuidado e ainda ensinar a quem for necessário que coisas assim podem ter efeito contrário ao fim que se  propõe.

É claro que não vão faltar histórias de pessoas que foram frases como algumas dessas proporcionaram oportunidades de falar de Jesus, levaram pessoas até a igreja, etc. Isso certamente há, mas nós realmente sabemos dos frutos bons, mas como saberemos quantas pessoas teve efeito contrário?

Cabe refletir. Cuidado e zelo sempre faz bem e como o Evangelho é uma boa nova, logo, uma boa notícia, deve ser comunicado na melhor linguagem que  podemos expressar, pois muitas vezes uma mensagem pode perder o sentido se pregada com ruídos no seu significado por causa de palavras “estranhas” para a pessoa que ouve e prejudicar o atingimento do efeito desejado.

Pr. Eroni Fernandes

Posted by:Eroni Fernandes

Empresário, Pastor, defensor de uma igreja MENOS INSTITUIÇÃO e mais IGREJA DE VERDADE, relevante, focada na missão e com dedicação à sua razão de existir: Evangelizar e levar paz, alívio e salvação ao seu redor, expandindo na sua redondeza e alcançando o mundo.

Uma resposta para “É preciso tomar cuidado com a nossa linguagem. Pode interferir no objetivo e no sentido do que se fala.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s