A grande maioria das pessoas parece que acha que consegue mudar a vontade de Deus conforme o número de pessoas que arrebanha para estarem orando a favor de seus pedidos.

Os pedidos de oração nas igrejas são feitos hoje como se Deus olhasse do céu e dissesse: Não, só tem 100 pessoas pedindo, nem to aí! Quando tiverem umas mil, ou só se encher um estádio de pessoas clamando, ou só respondo quando tiverem pelo menos 20, 50 ou 100 pastores orando por esse assunto.

É preciso ensinar melhor essas pessoas sobre o significado e objetivo da oração, porque alguns princípios básicos estão esquecidos:

  1. A oração não é uma lâmpada mágica que nos permite usar Deus para fazer o que queremos e providenciar o que precisamos: simples assim!
  2. Número de pessoas orando não muda a vontade de Deus;
  3. A oração não é uma firma de insistência para fazer Deus mudar sua vontade. Antes de tudo é um ato de submissão a ela e a sua soberania;
  4. Não é boa idéia querer fazer Deus mudar de idéia! O Rei Ezequias recebeu mais 15 anos de vida após um pedido a Deus, e nesse período expôs o Reino de israel, deu causa a uma invasão e teve um filho que foi terrível. Sua vontade é perfeita e agradável, é melhor submeter-se a ela que teremos sempre o melhor.
  5. Textos bíblicos descontextualizados dizendo que Deus faz “tudo” o que pedirmos em oração, precisam ser entendidos a partir significado real do “tudo”, da profundidade do que significa oração e das premissas básicas da submissão a vontade de Deus e principalmente de sua soberania;
  6. Oração não é mercadoria que mercenários possam vender como se fossem os possuidores do poder de reverter os desígnios de Deus.
  7. A fé não pode ser usada apenas para benefício próprio, ela carece de propósitos bem mais abrangentes para o Reino de Deus.

Mas então, pedir oração é errado? Não, o que é errado é fazer que nosso querer pareça estar acima da vontade de Deus e achar que arrebanhar pessoas orando nos altera na posição de quem é o soberano.

Clamor e intercessão são primariamente para realizações de coisas que sabidamente já fazem parte essencial da vontade de Deus, como um avivamentos, conversões, batalha espiritual, proteção à sua igreja, a seus filhos, por suas causas, etc.,

Uma análise mais profunda da chamada galeria dos heróis da fé de Hebreus 11, nos faz ver que a fé verdadeira deles não foi para uso particular como se quer fazer hoje, e sim para as causas do Senhor. Podemos aprender também que as curas e milagres que Jesus fez, sempre tiveram um objetivo principal para seu ministério terreno, tais como, perdoar pecados, glorificar a Deus, dar exemplo aos homens, estimular a fé em Deus, etc. O benefício do milagre sempre foi secundário, o foco foi o proveito disso para o Reino de Deus.

Para quem quer um milagre fica simples entender: qual o propósito do pedido? É só benefício próprio ou isso produzirá algo para o Reino de Deus e para sua glória! Se sim, certamente tudo o que pedirdes assim, em uma oração da fé mesmo, crendo, recebereis.

Pr. Eroni Fernandes

Posted by:Eroni Fernandes

Empresário, Pastor, defensor de uma igreja MENOS INSTITUIÇÃO e mais IGREJA DE VERDADE, relevante, focada na missão e com dedicação à sua razão de existir: Evangelizar e levar paz, alívio e salvação ao seu redor, expandindo na sua redondeza e alcançando o mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s