Congressos, festas, encontros, jantares, etc. Um dos piores sintomas que a igreja evangélica demonstra na atualidade que denuncia a sua perda de foco, é a quantidade e variedade de eventos que constam em seu calendário, principalmente voltados para seu publico interno, arrecadar fundos e poucos frutos para sua missão.

Esse é um sintoma ruim porque é uma demonstração clara de que ela está se transformando no que chamo de “ENDOIGREJA” ou seja, uma igreja que se voltou para dentro de si e sua atenção e atividades estão para atender quem já está ali e suas festas eventos acabam sendo objetivo de existência do trabalho e planejamento do ano todo de seus departamentos e tudo isso contribui para que todos percam o foco na sua missão primordial que é exatamente o contrário: Ser uma EXOIGREJA, voltada para seu exterior onde estão as pessoas que ela precisa alcançar com a mensagem do evangelho e ganhá-las para Jesus, que é a razão principal de uma igreja e existir neste mundo.

Ao olhar mais de perto esses eventos, notamos que não há mais limites para se criar razões para eventos:  Jovens, Irmãs, e Missões já eram tradicionais  mas agora, cada grupo da igreja, coral, banda, liderança disso, daquilo, Escola dominical, homens, obreiros, cooperadores, jantares, aniversários, eventos regionais, locais, estaduais, enfim, festas e mais festas, gastos e mais gastos e quando vai se apurar os resultados como frutos para o Reino é muito próximo de zero e ainda como complicador, pelo estilo mais preponderante dos pregadores e cantores desejados nesses eventos, que precisam ser borbulhares do povo, fazer movimentos, promessas de vitória e milagres, pregar um evangelho motivacional que no final, em sua grande maioria pouco frutificam na espiritualidade e para o crescimento do povo e da igreja, poucos frutos deixam, mas uma coisa é certa, levam gordos cachês que convencionaram chamar de oferta, recebidos pelos ditos servos, mas cujo ministério é servir-se da igreja. É importante ressaltar que não há generalização nisso, há também grandes servos de Deus que trazem mensagens de conteúdo e  contribuições ao crescimento à igreja local, mas infelizmente esses não são mais a maioria.

Não obstante isso, tenho presenciado coisas até pitorescas como as famosas entradas na igreja de pessoas uniformizadas outras teatralizando coisas pouco entendíveis, cânticos desconexos e assim por diante, chegando até ao uso de uniformes militares, e no último que presenciei em um evento de senhoras, todas estavam elegantemente com vestes de gala da marinha e por mais trabalho que desse para adequar seus os volumosos cabelos e coques, não dispensaram mesmo o quepe. 

Não há razões para ser contra essas coisas no mesmo viés que também não há motivos para ser a favor, só fica a interrogação se isso não estaria passando dos limites? Não estaria faltando atividade para as pessoas na igreja para colocarem todos esses esforços e gastos  de tempo e recursos nessas atividades e indumentárias caras para que com isso produzissem mais frutos em favor da missão principal da igreja?

Será que alguém mede  ou avalia a posteriori os frutos desses eventos, se o que se produz para o Reino é proporcional aos gastos, esforços, desgastes, transtornos que causam na programação e na estrutura da igreja, bem como à espetacularização que tem se tornado? Não sei dizer se sim ou se não porque fui um dos primeiros da fila a decidir não frequentar mais esse tipo evento. Após ir em vários deles e retornar para a casa em pior estado que fui para a igreja, pelos tantos transtornos que as pessoas são submetidas, a falta de organização, desrespeito a horários, a direção de culto por pessoas despreparadas, mas principalmente, por mensagens volumosas no tom e nas célebres entonações, sopros e “recebas” que esses pregadores usam e abusam para espetacularizar mais ainda esses eventos, que ultrapassou meus limites de suportação e sempre, nesses dias há uma igreja vizinha, menor que precisa da nossa cooperação. e isso é muito mais frutífero que ser mais um festeiro de igreja.

A igreja precisa de seus eventos, mas o exagero que isso chegou, ao invés de contribuir está prejudicando os frutos que deveria produzir, pois hoje para poder convidar um amigo para ir a um culto é necessário conciliar a agenda da igreja com a dele, porque se levarmos visitas em certos dias, corremos o risco da própria igreja desmanchar tudo aquilo que fazemos como evangelismo no trabalho ou na vizinhança e a pessoa voltar de lá totalmente desiludida e decepcionada com a igreja e todo trabalho de evangelização ser prejudicado.

É hora avaliarmos com mais cuidado o que fazemos como igreja e de focarmos na missão  e nos frutos que estamos produzindo e isso significa dirigir todos os esforços e atenção para que tudo o que se faz em nome da igreja ou em suas dependências,  para que TUDO, exatamente TUDO o que se faz, seja com objetivos claros de ganhar almas para o Reino de Deus, pois é para isso, que a igreja existe e foi por essas pessoas que Jesus deu sua vida na Cruz do Calvário, mas a igreja aos poucos se distancia de seu foco para proporcionar a sua membresia algo pouco parecido com o mínimo que deveria fazer.

Pr. Eroni Fernandes

 

Posted by:Eroni Fernandes

Empresário, Pastor, defensor de uma igreja MENOS INSTITUIÇÃO e mais IGREJA DE VERDADE, relevante, focada na missão e com dedicação à sua razão de existir: Evangelizar e levar paz, alívio e salvação ao seu redor, expandindo na sua redondeza e alcançando o mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s