De forma equivocada, o meio evangélico foi e ainda é ensinado e em sua grande maioria entende que o Evangelho deve ser pregado a todos aqueles que não pertencem ao seu modelo de credo e práticas religiosas

Além disso, muitas pessoas aprenderam a pregar algo que não é o Evangelho e sim as práticas de sua igreja ou sua religião. O Evangelho não é uma religião, é Cristo na vida das pessoas que exige renuncia, mas produz paz, amor e alívio, enquando muitas práticas religiosas produzem fardos, desgastam emocionalmente e exigem que pessoas vivam dupla personalidade cristã apenas para proteger e praticar suas tradições. ISSO NÃO É EVANGELHO!
PORQUE HÁ EQUÍVOCOS EM TUDO ISSO?
– Porque Igrejas estão cheias de pessoas que praticam a sua religião mas não conhecem verdadeiramente a Cristo!
– Porque a boa nova do evangelho é extensiva a todos, em todo tempo, independente de sua prática religiosa;
– Porque para homem nenhum foi dado o direito de julgar ou filtrar a quem já está vivendo as verdades do evangelho em sua plenitude e definir a quem pregar o Evangelho. É para todos!
– Porque o Evangelho é um todo, não é apenas uma parte que eu possa julgar estar praticando bem, enquanto outras nem sempre a minha vida reflete os efeitos da vivência dos ensinos de Cristo.
– O evangelho é paz, alívio do fardo e transformação de vida e muitas pessoas e inclusive líderes religiosos vivem hoje uma vida de penúrias impostas pela própria religião que pratica, que o levou a uma condição de vida amarga e penosa, com fardos apenas diferentes daqueles que dantes carregava, que hoje apenas estão disfarçadas de prática do evangelho, mas são apenas culto a uma tradição defendida pelas regras de sua instituição religiosa.
– O Evangelho não é de uma igreja, é do Reino de Deus! Quem ainda ensina um evangelho sectarista e territorial, gera mais opressão que libertação, tem visão de tribo, não de Reino!
– O principal efeito do evangelho é o desejo intenso de quem o recebe e o vive, de anunciar a paz e o alívio produzido em sua vida para outras pessoas para que estas também recebam a paz e o alivio do fardo que a vida no evangelho produz. Esta é a melhor tradução em prática do “ide” de Jesus.

Igrejas que deixam de lado essa prática como exercício primaz de sua missão, dão o maior indício que há muita religião e pouco evangelho em suas práticas e que precisam voltar a pregá-lo até para seus próprios fiéis e inclusive para seus líderes para que assim voltem a viver realmente o evangelho.

A lista é imensa, mas sobretudo, como está na narrativa de Atos dos apóstolos, o desejo e a prática de pregar o verdadeiro Evangelho é o sintoma de quem recebeu e está cheio do Espírito Santo, infelizmente hoje o que o que se vê é muita religião, palestras motivacionais advindas de pulpitos, prosperidade vazia, pregação de um “deus” que é servo e não Senhor e muito pouco evangelho. É sinal que o Espírito Santo já se afastou e não perceberam, porque onde ele está, ali há liberdade e o efeito principal, como em Atos aconteceu, todos indistintamente tornam-se pregadores do verdadeiro evangelho!
#foconamissão

Posted by:Eroni Fernandes

Empresário, Pastor, defensor de uma igreja MENOS INSTITUIÇÃO e mais IGREJA DE VERDADE, relevante, focada na missão e com dedicação à sua razão de existir: Evangelizar e levar paz, alívio e salvação ao seu redor, expandindo na sua redondeza e alcançando o mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s